Materiais

Metais

O material pode ser reciclado infinitas vezes sem perda de suas características. Com a evolução desse processo, já é possível que uma lata seja colocada na prateleira do supermercado, vendida, consumida,reciclada, transformada em nova lata, envasada vendida e novamente exposta na prateleira em 42 dias. A lata de alumínio demora 200 a 500 anos para se decompor.

O alumínio possui ótimo valor de mercado quando comercializado como sucata. A relação preço/peso/volume confere a ele um bom valor agregado.

No Brasil, a lata de alumínio corresponde a menos de 1% dos resíduos urbanos. As latas corresponderam a 43% das mil toneladas de sucata de alumínio disponívies para reciclagem. Cada brasileiro consome em média 25 latinhas por ano, esse número equivale a 1% dos resíduos urbanos. Os números brasileiros superam países desenvolvidos como Japão (57%), Inglaterra (23%), Alemanha (22%) e Itália (22%). O mercado brasileiro de sucata de latas de alumínio movimenta cerca de UU$45 milhões por ano.

Para aumentar o valor de mercado de latinhas de alumínio deve-se retirar pedras, areia, canudos de plásticos, pontas de cigarro, pedaços de vidro, entre outros. Além disso, a sucata de alumínio não deve conter ferro . As latas de aço devem ser comercializadas em separado. Portanto, é importante que se faça uma limpeza básica. Com estas medidas, o valor de venda do produto aumenta em cerca de 20%.

Papel

Reciclar papel é uma atividade antiga. A concientização ambiental
levou à multiplicação das campanhas de coleta seletiva de lixo e ao
aumento da ação dos catadores nas ruas, que têm na venda de papel
sua maior fonte de renda.

O papel é o material mais utilizado e podemos encontrá-lo com muita facilidade, ele demora de 2 a 4 semanas para se decompor. O papel branco se diferencia dos demais: papelão, jornal, revistas, pois seu valor é maior devido a sua qualidade e pureza.

Outro tipo de papel que começou a ser reciclado há pouco tempo, são as embalagens cartonadas mais conhecidas como longa-vida. Cada tonelada de embalagem cartonada reciclada gera aproximadamente 650 quilos de papel kraft, economizando o corte de 20 árvores.

A tabela seguinte enumera os tipos de papel que são recicláveis e quais são considerados não recicláveis, excluindo-se a possibilidade de incineração com recuperação de energia.

PAPEL RECICLÁVEL

PAPEL NÃO RECICLÁVEL

caixa de papelão

papel sanitário

jornal

papel carbono

revista

fitas adesivas

rascunhos

etiquetas adesivas

papel de fax

fotografias

embalagens longa-vida

O papel é separado do lixo e vendido para sucateiros que enviam o material para o depósitos. Ali o papel é enfardado em prensas e revendido.

Plásticos

Os produtos plásticos demoram aproximadamente 450 anos para se
decompor.

A maior dificuldade para a reciclagem dos plásticos, considerando aspectos técnicos e econômicos, é a necessidade de haver separação entre tipos. Raras são as indústrias brasileiras recicladoras de plásticos que operam com os diferentes tipos simultaneamente.

Métodos de separação

Por densidade: método bastante prático em que resíduos plásticos são moídos.
Por ensaio de queima: os plásticos são indentifcados por suas características durante a queima.
Por separação: entre plásticos rígidos e flexívies.
Por simbologia: método usado pela Coopamare, que consiste em um símbolo – três setas em seqüência – identificando o tipo de plástico com o qual o produto foi fabricado.

Atualmente, as empresas de transformação de plásticos e organizações ligadas à reciclagem têm se esforçado no sentido de facilitar a etapa de separação manual.

Os plásticos são classificados em sete tipos:

• polietileno tereftalado (PET): utilizado em garrafas descartáveis para refrigerantes; • polipropileno (PP): embalagens para massas e biscoitos, potes de margarina;
• polietileno de alta densidade (PEAD): para engradados de bebidas, baldes, frascos para produtos de limpeza; • poliestireno (PS): utilizado na fabricação de aparelhos de som e TV, e copos descartáveis;
• poli (cloreto de vinilha) (PVC): para tubos e conexões de água, equipamentos médicos-cirúgicos, garrafas de água mineral; • outros: resinas plásticas que não se classificam em nenhuma das anteriores.
• polietileno de baixa densidade (PEBD): para embalagens de alimentos, sacos de lixo;Vidros

O vidro é um material duravável, de facil reciclagem e tem uma alta
taxa de apoveitamento. Seu tempo de decomposição é indeterminado.

O Brasi produz em média 800 mil toneladas de vidro por ano, usando cerca de um quarto de matéria-prima reciclada na forma de cacos. Este material corresponde a 3% dos resíduos urbanos brasileiros e aproximadamente 35% das embalagens de vidro são recicladas.

Os cacos encaminhados para a reciclagem não podem conter pedaços de cristais, espelhos, lâmpadas, vidros planos, plásticos e metais, que são usados em automóveis e na construção civil, no caso de embalagens; chapinhas, canudos e tampas também devem ser retiradas.O quadro abaixo apresenta uma distinção entre as sucatas de vidro que são ou não recicláveis.

Classificação de sucatas de vidro

Recicláveis Não recicláveis
garrafas de bebida alcoólica e não alcoólica (refrigerante, cerveja , suco, vinho, etc.) espelhos, vidros de janelas e box de banheiro, lâmpadas, cristais
frascos em geral (molhos, condimentos, remédios, perfumes e produtos de limpeza) ampolas de remédios, formas, travessas e utensílios de mesa de vidro temperado
potes de produtos alimentícios vidros de automóveis
cacos de embalagens tubos de televisão e válvulas

 

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: